81 visualizações

Alegria

abril 28, 2021

Cultiva a alegria que nasce na fonte cantante e abençoada do solo do coração
“Ela se exterioriza na correta satisfação dos deveres
cumpridos, na tranquilidade diante dos aparentes
infortúnios, na confiança irrestrita do Bem, na harmonia íntima e no otimismo sem exagero das coisas”.

Joanna de Ângelis

 

Encontramos o verbo “regozijar” na Bíblia, desde os Salmos no Velho Testamento até às cartas de Paulo dirigidas aos colossenses.

Jesus veio trazer à Terra a Boa-Nova de alegria e saúde física e espiritual; uma verdadeira epopeia de júbilos!

Alegria legítima é aquela que não fere a ninguém. Ela não deve ser confundida com a balbúrdia, a gargalhada desenfreada e tampouco com o vozerio descontrolado. Alegria verdadeira é vitória sobre as fobias e triunfo sobre as paixões.

Jamais é infeliz a criatura que se identifica com as lições de vida da Boa-Nova trazida até nós por Jesus.

Os materialistas evitam a identificação com as verdades do Evangelho, ciosas de suas “alegrias e compensações” rasteiras e medíocres, julgando que os ensinamentos de Jesus levados à prática torná-las-ão infelizes… Ledo engano!

Segundo Joanna de Ângelis (1), “o ministério de Jesus faz-se enflorecido pelas bênçãos da alegria que Ele faculta a todos que O cercam. Suas parábolas e palavras de engrandecimento moral e de libertação das paixões podem ser consideradas como um cântico de alegria para todos os seres. (…) Em qualquer circunstância, alegra-te.

Aconselha, ainda a Mentora Amiga (2): cultiva a alegria, que independe das coisas de fora, mas que nasce na fonte cantante e abençoada do solo do coração e veste a linfa abundante do rio de paz, por todos os dias até a hora da libertação – começo feliz da via por onde seguirás na busca da ventura plena.

E completa Casimiro Cunha: “Alegria que não passa,/E que não fere a ninguém,/Nasce forte, rica e pura,/ Naquele que faz o bem.”

Rogério Coelho

Referências:
(1) Joanna de Ângelis/Franco,D.P. “Oferenda” p. 30; e
(2) Joanna de Ângelis/Franco,D.P. “Convites da vida” – capítulo 13.

Nota do editor:
Imagem ilustrativa e em destaque disponível em <https://www.centropazeamor.com.br/alegria-de-viver/>. Acesso em: 28ABR2021.

Rogério Coelho
Rogério Coelho

Rogério Coelho nasceu na cidade de Manhuaçu, Zona da Mata do Estado de Minas Gerais onde reside atualmente. Filho de Custódio de Souza Coelho e Angelina Coelho. Formado em Jornalismo pela Faculdade de Minas da cidade de Muriaé – MG, é funcionário aposentado do Banco do Brasil. Converteu-se ao Espiritismo em outubro de 1978, marcando, desde então, sua presença em vários periódicos espíritas. Já realizou seminários e conferências em várias cidades brasileiras. Participou do Congresso Espírita Mundial em Portugal com a tese: “III Milênio, Finalmente a Fronteira”, e no II Congresso Espírita Espanhol em Madrid, com o trabalho: “Materialistas e Incrédulos, como Abordá-los?” Participou da fundação de várias casas Espíritas na Zona da Mata Mineira.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como