Página InicialTextos EspíritasE andar A.T.E., até quando Deus quiser

316 visualizações

E andar A.T.E., até quando Deus quiser

abril 10, 2021

Difícil não ser pessimista com esse fim de segunda década do Século XXI. A frase do escritor Aldous Huxley: “E se este mundo for o inferno de outro planeta?“ nos assola a mente, e como Castro Alves, no seu poema “Navio Negreiro”, perguntamos: “Senhor Deus dos desgraçados! Dizei-me vós, Senhor Deus! Se é loucura… se é verdade…tanto horror perante os céus?!”

Esse clima de desânimo, de desesperança e de pessimismo nos invade, potencializado pelo poder amplificador das redes sociais. Sim, é fato…a humanidade já passou períodos mais confusos e de sofrimento muito maior que o atual.

Basta lembrar das duas guerras mundiais, da gripe espanhola, apenas para se ater ao século passado. Mas, a perplexidade se alimenta da velocidade e das imagens, que nos chegam cotidianamente.

Mas, não temos o direito diminuir a dor de ninguém. Os momentos desse 2020, em especial por conta da Pandemia de Covid-19, impuseram sofrimentos as pessoas de todo o mundo, que nos fazem lembrar da nossa condição de planeta de provas e expiações, e de que a nossa verdadeira vida é a espiritual, concordando um pouco com Huxley, mas discordando de Castro Alves, pois a doutrina espírita nos aponta que Deus está, mais uma vez, atento diante de tanto horror perante os céus.

Deus está atento, mas conta com o nosso concurso, usando assim os recursos por ele propiciado. Afinal, nos arvoramos a ser co-criadores. A saída dessa crise passa por nós, por esforços individuais articulados coletivamente, por caminhar A.T.E., até quando Deus quiser. O que seria caminhar A.T.E.? Simples, é a fórmula que indica o caminho de um mundo melhor: Amar, Trabalhar e Estudar.

O Amar implica em sair de si e buscar o outro. Seja de maneira formal, pelos chamados trabalhos assistenciais, seja de forma espontânea. O mundo precisa de mais amor, por favor. Mas, não um amor inerte, mas sim um amor ativo, que se indigna e que reage, anulando com amor a iniquidade. Abraços operam milagres!

O Trabalhar se faz no engajamento em atividades que construam esse mundo melhor. Na verdade, não vamos mudar o mundo apenas digitando textos na frente de um computador, ainda que as palavras que mudam o mundo sejam uma forma de trabalho. Mudaremos o mundo lutando nele, no campo real, no trabalho na interação com as pessoas, para além de textões e notas de repúdio.

O Estudar é que nos dá a base, a sustentabilidade e a direção para esse mundo melhor. O discernimento nos possibilita escolher e construir bons caminhos, e isso vem com o estudo e a reflexão. Coração, braços e mente são a trinca na promoção de um mundo melhor, na responsabilidade que nos cabe, como cristãos e cidadãos.

O pessimismo precisa ceder espaço à ação. Sair da cadeira do computador para enfrentar a realidade que se apresenta, com as armas A.T.E., instrumentos clássicos que ajudaram a humanidade em outros momentos difíceis, e que continuam eficientes. Ferramentas que Deus nos deu e que precisam ser utilizadas, para que surja esse reino de Deus prometido.

Marcus Vinicius de Azevedo Braga

Nota do Editor:

Imagem ilustrativa e em destaque disponível em <https://www.modefica.com.br/lfuturo-de-um-planeta-em-crise/#.YHGK8-hKjIU >. Acesso em: 10ABR2021.

Marcus Vinicius de Azevedo Braga
Marcus Vinicius de Azevedo Braga

Residindo atualmente na cidade do Rio de Janeiro, espírita desde 1990, atua no movimento espírita na evangelização infantil, sendo também expositor. É colaborador assíduo do jornal Correio Espírita (RJ) e da revista eletrônica O Consolador (Paraná). É autor do livro Alegria de Servir (2001), publicado pela Federação Espírita Brasileira (FEB) e do Livro "Você sabe quem viu Jesus nascer" (2013), editado pela Editora Virtual O Consolador.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como