123 visualizações

Amanhã 

setembro 15, 2020

 

No futuro se dará a colheita da sementeira de hoje 

“Não vos inquieteis, pois, pelo dia d`amanhã porque o dia  

d`amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu cuidado.” Jesus. (Mt., 6:34.) 

 

Se tomássemos o valor das palavras pelo que elas representam, sem atentarmos para o “espírito que vivifica”, ficaríamos perplexos ante muitas passagens registradas na Bíblia. 

Analisando superficialmente os versículos acima, julgaríamos que o Mestre incentiva a indolência, a inércia, o ócio, a passividade ancilosante e a imprevidência junto às lutas do mundo.   Mas não é bem assim… Vezes sem conto deu-nos o Meigo Rabi o testemunho do trabalho, do dinamismo e da perseverança frente às injunções da vida. 

A Doutrina dos Espíritos elucida com muita clareza tudo o que está implícito sob o véu da alegoria, nas entrelinhas, enfim, o que as palavras não disseram, mas que se encontra sub-reptício. 

As palavras têm valores intrínsecos e extrínsecos.  Quando, por exemplo falamos: “o cão investiu contra a criança”, vemos que a frase está completa e encerra um acontecimento.   Porém, analisando-a com maior riqueza de detalhes e, portanto, transcendendo o valor da frase e dando asas à imaginação, passamos a mentalizar um cão feroz, com os dentes aflorados, baba escorrendo pelos cantos da boca, olhos injetados de sangue, e a pobre e indefesa criança, por sua vez com os olhos esbugalhados de pavor.  Nada disso está escrito, mas está subjacente. 

Infelizmente, no que se refere à exegese das frases registradas nos Evangelhos, as interpretações surgidas através dos tempos não condizem com a realidade.   Entanto, Jesus sabia – de antemão , que tal coisa sucederia.   Daí a sublime promessa (1)“(…) mas aquele Consolador (leia-se Espiritismo) que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.” 

Dentro do que já falamos, a frase: vos fará lembrar” encerra em seu bojo o princípio da reencarnação.    

Vemos assim o valor das palavras, suas transcendências, seu real significado… e também que o amanhã, o futuro, trará uma abertura maior, uma ampliação do conhecimento.   No amanhã se dará a colheita da sementeira de hoje. 

Sempre haverá amanhã, daí o fato no qual se baseou Jesus para afirmar que “a cada dia basta o seu cuidado”, conclamando-nos a centralizar nossas atenções no hoje, neste hoje que está plasmando o amanhã. 

Por que nos preocuparmos – hipoteticamente – com um futuro que ainda estamos construindo?!  Há que se atentar para o hoje e viver como reais conhecedores das Leis Gerais do Universo.    

Se hodiernamente sintonizarmos com a alcandorada mensagem do Evangelho de Jesus veremos surgir no amanhã a luminosa aurora da felicidade e do conhecimento imarcescíveis coroando nossa existência infinita para todo o sempre, vez que não existe outro caminho para o Pai Celestial senão através de Jesus. 

 

Rogério Coelho 

 

Referências Bibliográficas: 

(1) João, 14:2 e KARDEC, Allan. O Evangelho Seg. o Espiritismo. 129.ed. Rio: FEB, 2009, cap. VI, item 3. 

 

Rogério Coelho
Rogério Coelho

Rogério Coelho nasceu na cidade de Manhuaçu, Zona da Mata do Estado de Minas Gerais onde reside atualmente. Filho de Custódio de Souza Coelho e Angelina Coelho. Formado em Jornalismo pela Faculdade de Minas da cidade de Muriaé – MG, é funcionário aposentado do Banco do Brasil. Converteu-se ao Espiritismo em outubro de 1978, marcando, desde então, sua presença em vários periódicos espíritas. Já realizou seminários e conferências em várias cidades brasileiras. Participou do Congresso Espírita Mundial em Portugal com a tese: “III Milênio, Finalmente a Fronteira”, e no II Congresso Espírita Espanhol em Madrid, com o trabalho: “Materialistas e Incrédulos, como Abordá-los?” Participou da fundação de várias casas Espíritas na Zona da Mata Mineira.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como