Página InicialCoragem Moral

202 visualizações

Coragem Moral

abril 20, 2020

Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo 5, item 16 temos:

“Os principais incentivadores do suicídio e que levam o homem à fraqueza moral são: a descrença em alguma religião, a dúvida de que a vida continua após a morte, as ideias materialistas, e a revolta contra os infortúnios da vida. Quando um cientista, apoiado em todo o seu conhecimento, afirma que após a morte não existe mais nada, ele na verdade está convidando os que sofrem a cometerem o suicídio. A conclusão é lógica, pois, se o suicídio é o único remédio para o sofrimento e após a morte se encontra o “nada”, por que continuar sofrendo por mais tempo?

 A propagação das ideias materialistas é o veneno que introduz em muitas pessoas o pensamento do suicídio. Aqueles que propagam essas ideias assumem para si uma terrível responsabilidade. Através dos ensinamentos espíritas, a dúvida sobre a continuidade da vida após a morte já não existe mais. Com paciência e resignação, a ideia do suicídio é afastada naturalmente, levando o homem a manifestar sua coragem moral.”

Divaldo Pereira Franco nos alertou em recente palestra que o suicídio será a principal causa de morte no planeta nas próximas décadas. Diante desse item acima citado do Evangelho concluímos que estamos num momento bem delicado, pois precisamos agir agora.

Quem convive com pessoas materialistas sabem que eles no fundo acham uma fraqueza, ingenuidade, acreditar em Deus, pois se acham confiantes em si mesmos para resolverem todos os problemas sozinhos, e todas as manifestações espirituais são engodos, loucuras das mentes “fracas”. Meu pai foi um desses e, no entanto, no leito de morte rezava o “Pai Nosso”. São Francisco de Assis sonhava com o momento em que ele estivesse totalmente nas mãos de Deus, sem outra perspectiva de solução, quando iria dançar e festejar, e isso de fatoaconteceu e o Criador trouxe a solução na hora certa. No momento em que a pessoa está frágil e carente, a fé em Deus é uma luz balsâmica que acende as esperança e a coragem.

Se um materialista fizesse uma pequena retrospectiva de sua própria vida e observasse a quantidade de vezes que soluções de problemas sérios surgiram “do nada”, talvez notassem que matematicamente é impossível tantos “acasos” acontecerem auma só pessoa em momentos difíceis. É para quem tem olhos de ver, mas precisa querer ver primeiro. Nesta transição planetária vivemos a era do “crer para ver” e não mais do “ver para crer”.

Agora as atenções estão voltadas ao coronavírus e a quarentena, porém, os irmãos que tendem ao suicídio continuam encarnados e precisando de ajuda, mais do que nunca.

No Brasil, ao contrário do mundo, o suicídio cresce estrondosamente. Foi noticiado no canal G1.globo: “Dados da OMS mostram que taxas de suicídio foram 7% maiores no Brasil em 2016, último ano da pesquisa, do que em 2010. Índice global teve queda de 9,8%”.

O Centro de Valorização da Vida promove a campanha do Setembro Amarelo para que se estabeleça o diálogo com o potencial suicida, porque nos países mais desenvolvidos foi o que ajudou a baixar os índices de suicídio. Veja neste site https://www.vittude.com/blog/setembro-amarelo/. E não poderíamos chamá-los de atendimentos fraternos similar aos dos nossos centros espíritas?

As pessoas que pensam em se suicidar visam livrarem-se do sofrimento, não da vida. Eles precisam ser escutados e esclarecidos. No momento em que passam a acreditar na vida depois da morte, a perspectiva muda. Se mesmo acreditando na eternidade do espírito pensarem no suicídio, pelo menos tudo o que leram e vivenciaram já os tornará mais receptivos aos mentores espirituais que os protegem, ou às vibrações das preces pelo mundo a fora.

Nós, como HUM-ANIDADE, somos todos um, então não podemos mais nos omitir, precisamos agir, e divulgar o Consolador, que tem a solução para as três causas do suicídio mencionadas acima.

O trabalho de divulgação como este que o leitor buscou, a Agenda Espírita Brasil, é um dos canais cruciais para chegar “a muitos corações”, ajudando as pessoas a serem otimistas, acreditando que de DEUS – que tem a palavra EU dentro, ou seja, Deus está dentro de nós -todas as soluções virão, pois Ele é acessível a todos.

“A fraternidade, ajuda construir um mundo mais irmão”, como diz a música “O Essencial”. A palavra de Jesus é a solução, é o amor ao próximo. Precisamos de mais e mais divulgação desta luz. Isso construirá a coragem moral aos poucos, levando as próximas décadas a patamares mais elevados quanto à valorização da vida.

Maria Lúcia Garbini Gonçalves

Nota do editor:
Imagem ilustrativa e em destaque disponível em <https://www.vittude.com/blog/setembro-amarelo/>.
Acesso em: 19ABR2020.

Maria Lúcia Garbini Gonçalves
Maria Lúcia Garbini Gonçalves

Tradutora, mora em Porto Alegre/RS, estudante da Doutrina Espírita, trabalha no Grupo Espírita Francisco Xavier como médium.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como