Página InicialTextos EspíritasNão vá ao meu velório

100 visualizações

Não vá ao meu velório

agosto 31, 2017

Quando for a minha vez de partir,

não vá ao meu velório…

“O velório é um sagrado dever de solidariedade, em que os amigos ofertam conforto à família.” – Só apareça se puder dar o carinho que os que deixei na Terra merecem… mais que isso, que precisam…

Quando for a minha vez de partir,

não vá ao meu velório…

“É também o período em que, a pouco e pouco, os Espíritos do bem irão desatando os laços que unem o Espírito ao corpo agora morto, para sua total libertação.” – Se não puder me respeitar nessa grande transição, não apareça só para mostrar ao mundo que se importava comigo…

Quando for a minha vez de partir,

não vá ao meu velório…

“É um momento solene importante”. – Será o tempo do meu corpo ser devolvido ao pó de que veio, tempo do eu-espírito voltar para casa, talvez confusa pela perturbação que naturalmente ocorre nessa oportunidade… Estarei triste por deixar amores, feliz por ter concluído a obrigação a que me dispus, e de alma dividida precisarei de silêncio, amor, prece e paz.

Quando for a minha vez de partir,

não vá ao meu velório…

“É dolorosa a hora da separação pela morte. Possivelmente, um dos transes mais dolorosos na face da Terra. Por isso mesmo, o apoio dos verdadeiros afetos e a solidariedade se fazem tão importantes.” – Se não tiver afeto suficiente para respeitar-me na cena final de minha vida carnal, mostrará mais solidariedade se não for ao meu velório ou se sua passagem por lá for breve, pois a conversa em voz alta, a recordação dos meus erros, a atualização das notícias cotidianas me fará muito mal, especialmente se ocorrerem nas proximidades do caixão que transladará o que restou do que fui materialmente.

Quando for a minha vez de partir,

não vá ao meu velório…

Certamente que desejarei te ver no momento de minha despedida. Mas, mais ainda, precisarei focar na minha própria transformação – deixarei de ser larva para virar borboleta! Minha consciência, nesse momento, apontará o destino que merecerei seguir e tudo que você pode fazer para ajudar é doar-me o carinho mais sincero e votos de “boa viagem”.

Não se preocupe se decidir não ir ao meu velório, entenderei como um ato de amor. Mas se tiver amor ainda maior, vá ao meu velório e em silêncio, com carinho, ore por mim.

Vania Mugnato de Vasconcelos

Nota da autora:
Com trechos do texto “Velório”, do Site Momento Espírita.

Nota do Editor:
Imagem ilustrativa e em destaque disponível em
<http://www.folhavitoria.com.br/policia/noticia/2015/05/homem-invade-velorio-e-atira-contra-o-caixao-em-joao-pessoa.html>. Acesso em: 31AGO2017.

Vania Mugnato de Vasconcelos
Vania Mugnato de Vasconcelos

Advogada, Bacharel em Serviço Social, pós-graduada em Recursos Humanos. Casada, mãe, espírita desde os 12 anos de idade, palestrante em vários centros no interior de São Paulo. Trabalhadora do CE João Batista de Jundiaí – SP, atua na casa como palestrante e Coordenadora do Grupo de Pais. Discípula de Jesus pela Aliança Espírita Evangélica do ABC, é oradora em casas espíritas vinculadas à USE Regional Jundiaí. Também é oradora em seminários realizados pelo Instituto Chico Xavier de Itu, em parceria com outros trabalhadores da seara espírita. Articulista espírita em redes sociais, jornais e blogs, seus textos e poemas estão disponíveis ao público na internet, bem como possui canal de vídeos no Youtube contendo palestras e estudos espíritas.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como