73 visualizações

Morte e vida

junho 23, 2016

Não te aturdas perante a ação da morte,
Que o corpo enreda e dá alforria à alma.
Procura em Deus o alento que te acalma,
A inspiração a te indicar o norte.

Vale considerar nesse momento
Toda delicadeza do processo,
Porque é alguém que se encontra de regresso
Ao lar do qual ninguém estará isento.

Pensa na morte como liberdade
P’ra quem ousou no bem, serviu, valente.
Do mesmo modo que é bem diferente
P’ra quem se asilou na mediocridade.

A morte exprimirá paz e beleza
Para a pessoa que, na caridade,
Soube crescer, lutando de verdade,
E que só no amor plantou sua certeza.

Do mesmo modo a morte é outra cadeia
De frustração, de dor e de agonia,
P’ra quem se dedicou, dia por dia,
A projetar de si só coisa feia.

Em Deus, o amor é a lei que nos ensina
A cada dia forjar o futuro,
Ante a visão do bem, calmo e seguro,
Que cada luta humana descortina.

Por isso, a voz do povo é de bom porte,
Refletindo a verdade permanente
De que através de toda ação da gente,
Conforme seja a vida será a morte.

Trabalha e estuda com amor ardente,
Valorizando cada um dos teus dias,
Para que colhas, então, alegrias,
Numa existência nobre e competente.

Pensa na morte com maturidade,
Sem neuras ou pieguices, nobremente,
Pois morrer é o final de toda gente.
Ninguém se evadirá dessa verdade.

Dê mais valor ao teu tempo terreno,
Tendo, ante os olhos, teu fanal de luz.
Toma essa estrada que leva a Jesus,
Que é Vida Plena, a aguardar-te sereno.

Sebastião Lasneau
Mensagem psicografada pelo médium Raul Teixeira, em 25.10.2004, na Sociedade Espírita Fraternidade, Niterói-RJ.

Francisco Rebouças
Francisco Rebouças

Pós-Graduado em Administração de Recursos Humanos, Professor, Escritor, Articulista de diversos veículos de divulgação espírita no Brasil, Expositor Espírita, criador do programa: "O Espiritismo Ensina".

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como