Página InicialTextos EspíritasJesus a luz da humanidade

203 visualizações

Jesus a luz da humanidade

novembro 4, 2015

francisco_rebouçasJesus, para toda a humanidade, significa a luz que a aquece e a clareia.

Jesus deve representar para a humanidade a lição de vida que está registrada em seu Evangelho, e ainda mais, deve significar também divino convite ao homem para buscar sua sublimação através do caminho, da verdade e da vida que ELE representa, atendendo às determinações de Deus nosso Pai que o enviou ao mundo. Jesus não fundou nenhuma doutrina ou sis­tema religioso, mas, fêz-se na vida física o modelo para que o homem pudesse adquirir a expressão superior.

Desde sua criação até os dias da atualidade o homem tem sido sinônimo de violência, prepotência e presunção, na busca por dominação do seu semelhante, porém, nem mesmo diante das possíveis conquistas permanece com sua fragilidade, e com seus conflitos de consciência, que o convocam para uma mudança radical cobrando-lhe postura diferente para que se torne o quanto antes humilde, simples, submisso e forte na sua perenidade espiritual.

O mestre maior da humanidade diferentemente dos pensadores de todos os tempos que estabeleceram métodos e sistemas de doutrinas, procurou estabelecer no amor, os pilotis da ética e da moral o sustentáculo para a conquista da felicidade. Jesus jamais se utilizou de sofismas, ou de outros artifícios, nem se apropriou de comportamentos excêntri­cos ou fórmulas complexas que exigissem altos níveis de inteligência ou de astúcia para o desenvolvimento das virtudes do Espírito Imortal.

Ensinou através de um simples grão de mos­tarda, valiosa lição acerca da fé; solicitou dos discípulos o que tinham de ingredientes para a confecção de alimento para a multidão e se utilizando de peixes e pães em quantidade insignificante saciou a fome da multidão perplexa; falou com a autoridade de quem conhece os benefícios daquele que semeia esclarecendo sobre a semente que cai em diferentes tipos de solos, para demonstrar a diversidade de sentimentos humanos ante a seiva nutriente de luz contida em sua doce e meiga palavra.

No “sermão da montanha” esclareceu que o verdadeiro vencedor não é o trinfador irracional e perverso, e sim a vítima inocente que sofre a perseguição e a injustiça porque verão que a justiça verdadeira será feita e dessa forma serão fartos. E todo seu ministério é feito de caridade, erguendo o ser do instinto para a razão e daí pa­ra a angelitude. Não nega o valor dos bens terrenos, mas alerta os homens para que seja dado o valor adequado à sua necessidade sem se deixar escravizar pela conquista das posses materiais passageiras e enganosas.

Jesus veio ao mundo para que o homem tomasse conhecimento de que a vida na Terra não passa de oportunidade sublime que Deus faculta ao ser humano para se reajustar perante as determinações superiores de suas Leis perfeitas e imutáveis, a caminho de sua pureza como filho da Luz que somos.

“O dicípulo da Boa Nova, que realmente comunga com o Mestre, antes de tudo compreende as obrigações que lhe estão afetas e rende sincero culto à lei de liberdade, ciente de que ele mesmo recolherá nas leiras do mundo o que houver semeado. Sabe que o juiz dará conta do tribunal, que o administrador responderá pela mordomia e que o servo se fará responsabilizado pelo trabalho que lhe foi conferido. E, respeitando cada tarefeiro do progresso e da ordem, da luz e do bem, no lugar que lhe é próprio, persevera no aproveitamento das possibilidades que recebeu da Providência Divina, atencioso para com as lições da verdade e aplicado às boas obras de que se sente encarregado pelos Poderes Superiores da Terra”. 1

Cabe-nos desde já, esquecer por momentos das nossas decisões infelizes do passado e procurar em suas nobres lições e exemplos o roteiro para nossa sublimação como filhos de Deus herdeiros do universo, fazendo a parte que nos compete a cada um, para a implantação do Reino de Deus em nós e em nossos semelhantes.

Francisco Rebouças.

Bibliografia:
1 – Xavier, Francisco Cândido, pelo Espírito Emmanuel – Livro: Fonte Viva edição especial, Cap. 8

Nota do editor:
Imagem em destaque adaptada do filme “Jesus de Nazaré” (1977, Itália/UK). Disponível em <http://rederecord.r7.com/2015/04/03/saiba-como-foi-feito-o-belo-e-comovente-filme-jesus-de-nazare/#!/foto/1>. Acesso em: 04NOV2015.

Francisco Rebouças
Francisco Rebouças

Pós-Graduado em Administração de Recursos Humanos, Professor, Escritor, Articulista de diversos veículos de divulgação espírita no Brasil, Expositor Espírita, criador do programa: "O Espiritismo Ensina".

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como