Página InicialTextos EspíritasOs porquês da vida

177 visualizações

Os porquês da vida

maio 26, 2015

joao-gubolin1Viver questionando é normal? E se é normal, porque isso ocorre? E de forma incessante! Vivemos questionando, e acredito que ninguém vive sem questionar, pois, vida é ação, é emoção, é transformação, é criação, onde tudo ocorre… Ao contrário, seria o cessar de nossas forças para evoluir.

E nesse processo frenético de viver, respirar, sentir, agir, investigar, aprender, descobrir, que são metas indispensáveis, não foge à regra questionar: “o porquê isso acontece comigo! Ou por que aconteceu? Por que isso existe? O porquê das existências do bem e do mal, das desigualdades, tanto material como emocional e muitos outros pontos que aguçam a perplexidade na vida diária”.

Poucos são os que questionam: de onde vieram; o que estão fazendo aqui na terra; para onde irão após a morte; porque amamos; porque trabalhamos; porque sofremos; porque morremos; porque adoecemos; porque sentimos fome; porque brigamos; porque envelhecemos… etc…

Aprender é da própria natureza do ser humano, em outras palavras, é preciso evoluir! Pode até ficar desobrigado de tal ação, mas sofrerá as consequências do progresso e dos agentes da natureza que usam os fatores que o tempo requer, e também, dos letrados, dos mais experientes, ou ainda, daqueles que possuem o poder e por isso sufocam os ignorantes que, por sono consciencial ou falta de vontade, são desprovidos do saber.

Sócrates, o grande filósofo, já nos alertava: “Conheça-te a ti mesmo…” E não era por acaso!  De outra forma, séculos depois, JESUS, ESTE SER ILUMINADO, também recomendou, e foi incisivo: “Conhecereis a verdade e ela vos libertará…” Ou seja, o primeiro aconselhou a conhecer o “eu” verdadeiro. O segundo, Cristo, foi mais abrangente, no sentido de conhecer a verdade, isto é, foi além… Pois, a verdade subentende todas as coisas existentes na natureza, no universo, e respectivas mudanças que ocorrem, onde o corpo é apenas um pontinho da matéria universal, sendo aí, envolvido com muita frequência.

Então, conhecendo o corpo e suas limitações, é óbvio que, se o estômago é para x, jamais poderá colocar nele, 2x. Até que pode! Mas, não deve! Também, não foi feito para absorver fumo, álcool, e tantas outras drogas. Ciente, portanto, do poder e de suas limitações, é sabido que se beber em demasia, vai perder o equilíbrio, a razão, a moral, e talvez, até o próprio corpo…

O sexo é outro fator de estabilidade emocional e de prazer, isto ninguém pode negar, porém, quando utilizado em aventuras menos dignas torna-se alvo dos porquês; neste item pode-se dizer “problemas…” E não são poucos!

No âmbito emotivo, sensitivo, não palpável, o egoísmo, o orgulho, a inveja, são os grandes vilões dos porquês da conduta antiética do homem, dificultando seu progresso existencial.

Os grandes enigmas do homem estão no entender do mecanismo do mundo, do universo, da razão e da existência de todas as coisas. Aqui, é que realmente nossa mente se esforça, se dilata, se alonga, se contradiz, e colorida ou em preto e branco penetra por esse espaço sideral, imaginando as estrelas, o céu, os planetas, todos em movimentos, achando tudo muito lindo, mas não passa disso, apesar de saber que eles existem… Então, culminamos no ponto da Criação, que o chamamos de Deus, pois, é de lá, a origem de todas as explicações, as quais estão à disposição de todo ser iluminado que queira desvendar “os porquês”.

Os cientistas, munidos de potentes e sofisticados aparelhos, após muitos estudos investigativos, já descobriram muitos pontos, que até então, eram obscuros, ou considerados como mistérios, são os que chegaram mais próximo da resposta verdadeira, racional, graças as constantes e sucessivas indagações, que não cessam e que avançam progressivamente.

O homem já chegou à lua, opera à distância através de um vídeo, mas, a maioria não consegue viver juntos, em paz e harmoniosamente, na sociedade ou dentro de quatro paredes, tendo contra si “os porquês” da vida, frutos da ignorância, da negligência ou preguiça mental. Assim, os obstáculos que vamos encontrando no dia a dia, que resultam em aprendizados, aqui, chamados de “os porquês”, são os momentos que marcam e vão direcionando nosso destino, que é construído e moldurado, da maneira e meios que cada um, livremente, escolhe.

Portanto, os porquês nos levam a meditar, a refletir e a agir no sentido de aprender o que é a vida através do corpo; o relacionamento com o próximo e com o meio onde vive; o que estamos fazendo desse corpo e da vida; e o que é preciso fazer para viver e conviver bem. Enfim, são dispositivos que nos alertam e mostram os meios para alcançar os fins, ou seja, a evolução, que ocorre em âmbito universal. E não é por acaso…

João Gubolin

Nota do editor:
Imagem em destaque disponível em <http://www.oabdeprimeira.com.br/como-passar-na-oab-2/dicas-oab/xv-exame-de-ordem-questoes-passiveis-de-recurso/>. Acesso em: 26MAI2015.

João Gubolin
João Gubolin

Reside em São José do Rio Preto, interior de SP, onde trabalha como voluntário na Campanha de Fraternidade Auta de Souza na Associação Espírita Allan Kardec e como passista no Centro Espírita Francisco Cândido Xavier. Apaixonado pelo idioma Esperanto, nos últimos anos estuda-o todos os dias e tem participado de vários Congressos acerca da língua.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como