95 visualizações

Companhias

fevereiro 16, 2015

sylvinha-gonçalvesFiquemos atentos, meus amados irmãos. Atendamos ao conselho do Divino Amigo: “Orai e vigiai”, pois ele se aplica em cada circunstância do nosso viver.

Estamos passando por mais um Carnaval. Cada um de nós possui a sua consciência e o seu livre-arbítrio, não é mesmo? Porém, recordemo-nos também das sábias palavras do apóstolo do Cristo, Paulo de Tarso: “Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém”.

Não se trata apenas da festividade carnavalesca. Não se trata de um apelo, mas de reflexão. Jesus esteve em todos os lugares, convivendo com muitas pessoas, mas possuía a missão de esclarecer os homens de boa vontade e através da fé dos mesmos, os curava.

Não estamos falando sobre a nossa missão como evangelizadores e trabalhadores da Seara Bendita. Estamos analisando a postura cristã. Assim como água e óleo não se misturam, é natural que o cristão não se afine mais com certos ambientes, pois a psicosfera densa lhes faz mal à alma e ao corpo físico também.

Além da baixa onda vibratória e de seus efeitos nocivos, não podemos nos esquecer também das companhias e das companhias das companhias. Sim. Estamos 24 horas sendo assistidos por Espíritos diversos, de ordens diversas e sabemos, pois, que pela sintonia de pensamentos e de preferências, os atraímos – é como abrir a porta para que a visita adentre. Da mesma forma, as pessoas que nos rodeiam também trazem consigo suas companhias espirituais e há uma troca de fluídos, de energias, que poderão se afinar ou se repelir. Não há mistério nisto.

Amemos sim a todos, pois este é um dever, um mandamento Divino e o Cristo, todo amor, nos deu o exemplo. Contudo, saibamos escolher os nossos ambientes e as nossas companhias, pois nós mesmos seremos os beneficiados.

Muitos sofrimentos fazem morada nos corações, pois não sabemos selecionar o hóspede – ele bate e simplesmente abrimos a porta.

Fiquemos todos na Paz de Jesus.

Sylvinha Gonçalves

Nota do Editor:
Imagem em destaque disponível em <https://queelecresca.wordpress.com/2012/05/06/cuidado-com-os-caminhos-da-morte/>. Acesso em: 16FEV2015.

Sylvinha Gonçalves
Sylvinha Gonçalves

Bacharel em Antropologia pela PUC-Goiás, Professora de Educação Especial e Inclusiva e Psicopedagoga pelo Centro Universitário de Rio Preto (UNIRP). Escritora, estudiosa e pesquisadora Espírita. Trabalhadora do GEAL - Grupo Espírita André Luiz de São José do Rio Preto - SP.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como