Página InicialTextos EspíritasO Movimento Espírita e o Evangelho

90 visualizações

O Movimento Espírita e o Evangelho

dezembro 14, 2014

jane-maiolo-300x318“Que cada um procure não o próprio interesse, mas o interesse dos outros.”
Filipenses (2:4)

“Achamo-nos todos engajados na luta do bem para que o mal desapareça, luta difícil, mas luminosa, em que todos somos chamados a oferecer o melhor de nós.” (1)

No ano de 1969 chegava ao conhecimento do leitor mais uma das mensagens de Bezerra de Menezes, o Patrono da Unificação, psicografada por Francisco Cândido Xavier, o medianeiro de Pedro Leopoldo, mensagem que se intitulava: Seguir Sempre.

Seguir sempre, sem dúvida, ainda é o melhor caminho oferecido como diretriz a todos os servidores do bem como indicava o autor espiritual na citada mensagem.

Por amor a Jesus e ao Evangelho, muitos servidores tem se embrenhado nessa “selva de pedra”, ferindo-se e lapidando-se para que a mensagem imortal e esperançosa do Cristo atinja os corações que buscam uma nova perspectiva de vida e soluções mais felizes para seus problemas. Talvez o salmista tenha razão quando diz: “porque teus servos amam suas pedras” (2).

São elas, as pedras, o motivo de lágrimas, tropeços e decepções, mas também são elas que endurecem o coração do servidor.

Quando fomos chamados a oferecer o melhor de nós, por amor ao Evangelho, nosso contrato com Jesus incluía cláusulas que nos passaram despercebidas. Talvez o melhor de nós ainda esteja por vir.

Diria o convertido de Damasco: “Portanto, se há um conforto em Cristo, uma consolação no amor, se existe uma comunhão de espírito, se existem ternura e compaixão, completai a minha alegria: tende uma só aspiração, um só amor, uma só alma e um só pensamento. Não façais nada por competição e por desejo de receber elogios, mas por humildade, cada um considerando os outros superiores a si mesmo. Que cada um procure não o próprio interesse, mas o interesse dos outros. Tende em vós os mesmos sentimentos que havia em Jesus Cristo.” (3)

O espírito de competição ainda é pedra bruta e pontiaguda que ferem os postulados da verdadeira caridade, vivência e divulgação da Doutrina Espírita e do Evangelho do Cristo.

O Movimento de Unificação transita por períodos difíceis onde propagam o ego e o personalismo. Os corações de muitos servidores endureceram e petrificaram. O desejo era o de não fracassar, lutar com dignidade e colaborar na tarefa da Unificação e divulgação da Doutrina Espírita e do Evangelho. Resta-nos a advertência de Jesus a Pedro: “Embainha tua espada.” (4), para que pacifiquemo-nos e encaremos a tarefa com alegria, sendo fiel a Jesus e ao Evangelho.

Trabalhemos por um Movimento bonito de Unificação, calemos toda a difamação e espírito de competitividade, pois o Cristo convidou-nos a todos ao trabalho. Respeitemos a diversidade e empreguemos nossas melhores forças nas tarefas que nos compete. Não resta dúvida que estamos fazendo o melhor de nós, mas ainda assim nos esforcemos para imitar João, o Batista – a voz que ainda clama no deserto da nossa vaidade – é necessário que EU diminua para que o Cristo cresça.
Embainhemos nossas espadas para que o Evangelho seja a rocha firme construída com as poeiras da nossa singela colaboração.

Jane Maiolo

Referências:
(1) Bezerra, Chico e você – página 35;
(2) Salmo 102;
(3) Carta aos Filipenses – (2:4);
(4) Mateus (26;52).

Jane Maiolo
Jane Maiolo

Professora de Ensino Fundamental, formada em Letras e pós-graduada em Psicopedagogia. Dirigente da USE Intermunicipal de Jales. Colaboradora da Sociedade Espírita Allan Kardec de Jales. Pesquisadora do Evangelho de Jesus. Colaboradora da Agenda Espírita Brasil. Apresentadora do Programa Sementes do Evangelho da Rede Amigo Espírita.

Deixe aqui seu comentário:

Divulgue seu evento conosco.
É rápido, fácil e totalmente gratuito!

+ Clique e saiba como